Os três vícios, -2

Aos 16 anos parei de nadar, até este momento nadar era uma paixão de família, participávamos de competições nacionais e internacionais ( nestas apenas meus pais, eu não) e todos estavamos muito envolvidos neste esporte. 

  
A rotina de minha pré adolescência sempre envolveu toca e óculos, muitosssss mil quilômetros de treinos diarios as 6AM, uma rival, viajens representado a Sociedade Recreativa de Rib. Preto ( RECRA), a tia Cecília – minha técnica amorosa e confiante, maiôs e mais maiôs, todo o esquema e apetrechos de uma família que compete e respira natação…   Tudo isso me deu muita estrutura. 

Esta estrutura…. Era visível dentro e fora do meu corpo. Tinha a força emocional de um quase atleta, nunca atravessei a a barreira “atleta profissional”, fiquei sempre no quase. E tinha também essa estrutura em meu corpo físico…. Era forte ( como ainda sou), com ombros grandes, resultado da genética somada ao esporte que escolhi.

Aos 16 anos… Acredito que devido a uma crise de estrutura, me achava E ERA maior que todos meus colegas, não era tão dramático quanto pode parecer… Mas parei de nadar por acreditar que o esporte estava me deixando grande, sendo que na verdade… Sou grande risos 

Nesta fase conheci meu terceiro vício…. O cigarro…. E também engordei bastante pois parei de queimar tantas calorias.

Achava o máximo dos máximos fumar. Talvez por representar uma certa ‘maioridade’… Sempre tive amigos mais velhos do que eu… Quase todas minhas amigas desta fase são mais velhas… Como tenho 2 irmãs mais velhas… aprendi a conviver com pessoas mais velhas e elas fumavam. Hoje entendo que para pertencer comecei a fumar. Que erro. 

Imagina o trauma da minha mãe?! Ela teve cancêr com 35 anos… Com 4 filhos PEQUENOS. Nunca fumou e após o cancêr REVOLUCIONOU a alimentação de nossa casa, que já era muito boa. Dai eu apareço fumando… Rebelde ao extremo!

Após vencer o cancêr minha mãe optou pela saúde e tuuuuuudo passou a ser orgânico, naquela época não era moda, era mais caro  e muito mais difícil encontrar por aí. Tudo que fosse industrilizado SUMIU da minha casa. Com toda razão do mundo, minha mãe limpou nossa alimentação. Hoje agradeço muito…. Na época queria saber – onde foram parar minhas bolachas recheadas?!?! 

Aí se intensificou meu segundo vício. A comida. Meu vício não é a alimentação, mas sim a comida. O alimento não precisa da fome para existir certo?! E eu queria comer tudo o que via pela frente. Este, dos meus 3 vícios, sempre foi o mais complexo. 

Os três me acompanharam, com idas e vindas, por toda minha minha vida… Ainda estão por aí. 

O cigarro deixei de forma definitiva aos 26 anos. Um belo dia me peguei fumando deitada em minha cama…. E fiquei horrorizada quando a cinza do cigarro caiu sobre o lençol. Neste momento tive um treco rssss entendi que estava proativamente injetando fumaça em meu corpo e PAREI. Não foi repentino…. Parei de fumar no quarto, depois paramos ( vou mudar o verbo para paramos pois eu e o Dani, na época meu namorado, também entrou nessa. Fomos limitando os locais permitidos para fumar. Quando chegamos na sala de estar…. O cigarro deixou de fazer sentido para mim. O Dani também parou, mas ele ainda da uns traguinhos…. Ainda insisto que pare 100%! Mas é responsabilidade e querer dele, não minha/meu né?! 

O terceiro vício, que diz muito sobre minha ansiedade é o habito de roer minhas unhas. Quando estou ansiosa ninguém me segura…. Detono as unhas até doer. É muitoooooo forte e muito descontrole. E se alguém reparar e me avisar – tipo: olha a unha, tira a mão da boca – fico furiosa. Kkkkk fico mesmo. Vai entender?! 

Bom… 5 semanas atrás, com as pontas dos dedos doloridas de tannnnnto morder, decidi colocar unhas de gel. Pesquisei, encontrei uma profissional, agendei o horário e fui…… Masssssssss por sorte kkkkk meu cartão não passou ( é carinho – quase 500 reais ). 

Sai do salão muito triste. Mas quando chegamos no ápice das coisas, assuntos etc a vida nos dá escolhas. Neste caso escolhi me permitir mais uma chance de parar de roer unhas. 

Há 5 semanas desenvolvi um esquema que esta me ajudando MUITO. Faço as unhas duas vezes por semana! Na terça faço a unha mesmo e na sexta só troco o esmalte! Esta funcionando! 

Entendi que se a unha estiver bem feita não sinto vontade de roer! E agora elas estão crescendo e junto com elas uma nova mulher. Acreditem…. Unhas compridas tem essa importância para mim. 

Nem acredito que as minhas estejam se mantendo assim rs. Sempre levei comigo 3 vicios, cigarro, roer as unhas e desequilíbrio com a alimentação. Venci os dois primeiros, cigarro digo com tranquilidade – NUNCA MAIS – as unhas estão em fase delicada, mas seguindo para a certeza do NUNCA MAIS e a alimentação… Esta ainda precisa de bastante atenção, mas hj estou mais próxima do equilíbrio do que do desequilíbrio! E a alimentação é a motivação deste blog! 

Um dia vou dividir aqui um depoimento sobre o fim do último dos 3 vícios! 
Até lá vou celebrando com minhas garras por aí! Elas vão me dar segurança para encerrar o assunto dos 3 vícios 🙏❤️
Beijos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: